E na hora da gravação o que fazer?

Entre tantas maneiras de gravar um disco, o importante é fazer aquela em que o coração fique feliz!

EEC na Fábrica de Cultura

Existem várias maneiras de gravar e produzir um som. No meu ponto de vista, não existe certa ou errada, e sim, aquela em que o artista se identifica mais.

No caso do “rap-canção”, álbum do EEC lançado em 2014 e gravado entre maio e junho de 2013, optei em gravar tudo junto, voz e violão, conduzido pela emoção e pela musicalidade, sem a utilização do metrônomo (beat utilizado para que os músicos gravem no tempo preciso da canção) e sem correção de voz (dependendo do tipo da gravação, quando a voz desafinada, é utilizado um corretor de voz, que corrige a desafinação).

Como em todo tipo de gravação, encontramos prós e contras, mas o que pesou na minha escolha, foi a busca de fidelização ao processo de composição dos meus raps-canção, e a importância dada por mim, para que o ouvinte quando escutasse as canções, tivesse a sensação de me ouvir como que de uma maneira intimista, fazendo um som ao vivo.

Como dito anteriormente, certo ou errado, não importa. Como tudo na vida, o que realmente importa na decisão de como gravar seus disco, é fazer conforme o seu coração e a sua intuição mandam.

Para aqueles que pretendem gravar um disco, uma ótima gravação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *